Quaresma

00000000423420206384856226265

Preparação para Páscoa:

índiceA quaresma atual é o resultado de um progresso evolutivo ao longo dos tempos que sempre teve o mesmo objetivo: a preparação para Pascoa.[1] Nos primeiros séculos a Celebração da Pascoa não tinha um período de preparação. Havia somente o jejum nos dois ou três dias precedentes. No século IV temos os primeiros testemunhos sobre a existência da quaresma no ocidente. Santo Agostinho, S. Ambrosio e outros falam sobre esta preparação. No final do século IV temos alguns escritos sobre a preparação para pascoa de seis semanas. É a quaresma de S.Leão (461)[2]

Com o passar do tempo o tempo de preparação começa na quarta-feira anterior ao primeiro Domingo da quaresma. Após o Concilio Vaticano II, a quaresma foi reformada seguindo critérios da Sacrosanctum Concilium, que indicou claramente seu sentido fundamental: “...[a Quaresma] sobre tudo através da lembrança ou preparação para o Batismo e com a penitencia prepara os fiéis para a celebração do mistério pascal, com a escuta mais frequente da palavra de Deus e com oração mais intensa”(SC 109).

A quaresma hoje abrange os dias que vão da Quarta-feira de Cinzas até ao Sábado Santo. Contudo, a liturgia propriamente quaresmal começa com o primeiro Domingo da Quaresma e termina com o sábado antes do Domingo da Paixão.

Na Quaresma, Cristo nos convida a mudar de vida. A Igreja nos convida a viver a Quaresma como um caminho a Jesus Cristo, escutando a Palavra de Deus, orando, compartilhando com o próximo e praticando boas obras. Nos convida a viver uma série de atitudes cristãs que nos ajudam a parecer mais com Jesus Cristo, já que por ação do pecado, nos afastamos mais de Deus.

São quarenta dias em preparação para a celebração da Pascoa. Quando olhamos para história da salvação vamos ver alguns fatos relacionados que fundamentam a quaresma hoje. Os quarenta anos de peregrinação do povo hebreu rumo à terra prometida; os quarenta dias de jejum total de Moisés no Monte Sinai se preparando para receber a Lei da Aliança (Ex 24, 12-18.34); os quarenta dias em que Elias seguia o caminho do Monte horeb, fugindo da perseguição (1Rs 19,8); e os quarenta dias e quarenta noites em jejum Jesus passou no deserto em jejum, se preparando para sua vida pública (Mt 4,1-2).

Para Igreja Católica a quaresma é o tempo que precede e predispõe à celebração da Páscoa. É tempo de escuta da Palavra de Deu e de Conversão, de preparação e de memória do batismo, de reconciliação com Deus e com os irmãos, de recorrer com mais frequência às “penitencias cristã”: A oração, Jejum e a esmola (cf. Mt 6,1-6.16-18).

A cor litúrgica própria é o roxo e não se canta o glória, nem o Aleluia, que voltarão a ser cantados somente na vigília pascal. A igreja do Brasil desenvolve neste tempo da quaresma a Campanha da Fraternidade. Trata-se de um grande movimento de evangelização e de conscientização daqueles pecados mais gritantes da sociedade brasileira que nos impedem de celebrar a Pascoa do Senhor mais plenamente.

 

[1] BOROBIO, Dionisio. A Celebração na Igreja, 3 vol. Edições Loyola, São Paulo 2000

[2] AUGÉ, Matias. Liturgia. Ave Maria. São Paulo-2007

 

Por: Pe. Leandro Couto, Comunidade Canção Nova