Deixar que a Palavra nos forme

Dom João

Paz e bênção. Deixar que a Palavra nos forme

O discípulo que está ‘a caminho’ com o Senhor não se deve preocupar ou agitar ‘por muitas coisas’. O tempo urge. A atenção ao Mestre, a escuta de sua palavra é para o discípulo a ‘melhor parte, que lhe não será tirada’. Para Lucas, escutar a Palavra é entrega à ação concreta e exigente. Se isto vale para todo cristão, tanto mais essencial se torna para os religiosos que, ‘deixando tudo por amor de Cristo, seguem-no como a única coisa necessária (Lc 10,42), ouvindo a sua palavra (Lc 10,39), cheios de solicitude por seus interesses’ (PC 5).

As duas irmãs são discípulas. Uma, porém, senta-se aos pés de Jesus para ouvi-lo e deixar que a Palavra a forme. A outra, considerando-se talvez já formada, dispensa o ouvir e esgota seu seguimento na prática da Lei. Não se trata de conflito entre ação e contemplação. O conflito é mais sério: ouvir Jesus como discípulo ou praticar a Lei como fariseu!

Bom dia. Abraço.

Dom João Inácio Müller, ofm

Bispo diocesano de Lorena SP.